2. O Barroco no Brasil

Vindo pelas mãos dos colonizadores, principalmente portugueses, leigos e religiosos, o estilo Barroco chega ao Brasil no século XVIII, 100 anos depois de seu surgimento na Europa e permanece aproximadamente até as duas primeiras décadas do século XIX. Em território brasiliense o barroco sofre influências portuguesas, francesas, italianas e espanholas. Mestres portugueses por hora se uniam aos filhos de europeus nascidos no Brasil e seus descendentes caboclos e mulatos  para realizar algumas belas obras do barroco brasileiro. O movimento barroco no Brasil tem seu ápice artístico a partir de 1760 com a variação do rococó do barroco mineiro.

Durante o século XVII a Igreja teve um importante papel como mecenas na arte colonial. Algumas ordens religiosas como beneditinos, carmelitas, franciscanos e jesuítas que começaram a se instalar no Brasil desde a metade do século XVI desenvolveram uma arquitetura religiosa sóbria e muitas vezes monumental, traços de gosto europeu eram reconhecidas nas fachas e plantas retilíneas de grande simplicidade ornamental.

Antiga igreja de São Miguel das Missões - RS. Fonte: http://bit.ly/d8l0G7

O barroco acaba se proliferando sobretudo no nordeste e no sudeste do país, porém a primeira manifestação de traços barrocos, se bem que misturado ao estilo gótico e românico pode ser encontrada na arte missionária dos Sete Povos das Missões na região da Bacia da Prata no Rio Grande do Sul, nessa região durante um século e meio padres missionários ensinaram índios guaranis uma síntese artística com base em modelos europeus.

Em meados do século XVII, manifestações de espírito barroco são vistas no resto do país, presentes em fachadas e frontões. Construída entre 1633 e 1691 a Igreja e Mosteiro de São Bento do Rio de Janeiro, possuí talha barroca dourada em ouro em estilo português.Os motivos folheares, a multidão de anjinhos e pássaros, a figura dinâmica da Virgem no retábulo-mor, projetam um ambiente barroco no interior de uma arquitetura clássica.

Interior da igreja e mosteiro de São Bento do Rio de Janeiro, 1717. Fonte: http://bit.ly/8zkdHq

Na Bahia no fim do século XVII é introduzido na decoração o barroco, um exemplo disso é antiga Igreja dos Jesuítas, hoje a Igreja Catedral Basílica. Os traços barrocos podem ser identificados na capela-mor, com seus cachos de uva, pássaros, flores tropicais e anjos-meninos.

Entre 1700 e 1730 uma onda de pedra esculpida tende a se disseminar nas fachadas, como imitação dos retábulos, seguindo a lógica da ornamentação barroca. Somente em 1703 que o dinamismo do estilo conquista o exterior de um edifício, na Igreja da Ordem Terceira de São Francisco da Penitência em Salvador. É importante observar que o barroco brasileiro apresenta uma exceção, mesmo em um período grandioso das igrejas barrocas nacionais, essas são marcadas por um contraste entre a relativa simplicidade entre seus exteriores e suas ricas decorações internas, sinalizando com isso, a virtude de recolhimento, requisito necessário à alma cristã. Nesses primeiros 30 anos é difundido no Brasil o estilo “nacional português”, sem variações significativas na várias regiões.

Igreja da Ordem Terceira de São Francisco da Penitência em Salvador, 1703. Fonte: http://bit.ly/9LJi2B

Por meados de 1730 e 1760 surge um novo ciclo de desenvolvimento do barroco, com predomínio do estilo português chamado de Joanino, cuja origem é fundada no barroco romano. A construção de naves poligonais e plantas em elipses entrelaçadas são de origem desse período. Destacam-se também nesse período os artistas portugueses Manuel de Brito e Francisco Xavier de Brito.Na metade do século XVIII, ocorre uma certa estagnação no Nordeste das construções barrocas devido a perda de força econômica e política. O foco do estilo barroco volta-se para o Rio de Janeiro, transformada em capital da colônia em 1763 e a Região de Minas Gerais cujo desenvolvimento foi forçado pela descoberta de minas de ouro e diamante. Por isso que é exatamente nesse período que os maiores artistas barrocos brasileiros se revelam, o Mestre Valentim no Rio de Janeiro, e Antônio Francisco Lisboa o Aleijadinho na região de Ouro Preto e seu entorno.

Santuário do Bom Jesus dos Matozinhos, em Congonhas - MG, obra de Aleijadinho, 1805. Fonte: http://flic.kr/p/4z34qk

A partir de 1760 é na suavidade do estilo rococó mineiro que se encontra a linha mais autentica do barroco brasileiro. A extrema religiosidade popular é expressada em um espírito contido e elegante, constituindo templos de arquitetura em planos circulares e  de índole harmônica e dinâmica, com uma bela decoração em pedra-sabão. As construções monumentais são então substituídas por templos mais intimistas, de proporções singelas e decoração requintada, voltados para a espiritualidade e condições materiais da região.

Chafariz da Pirâmide do Mestre Valentim, no Rio de Janeiro, 1779. Fonte: http://flic.kr/p/7eatG8

Na Igreja da Ordem Terceira de São Francisco de Assis da Penitência encontra-se um dos mais bons exemplos bem-acabados desse estilo, cujo risco, frontispício, retábulos laterais, altar-mor, púlpitos e lavabo são de autoria de Aleijadinho. Na teto da nave encontra-se uma pintura ilusionista de um dos mais talentosos pintores barrocos Manoel da Costa Athaide. Outra grande parceria desses dois artistas está representado aos Passos da Paixão de Cristo para o Santuário do Bom Jesus dos Matozinhos em Congonhas do Campo, e é nesse mesmo santuário que Aleijadinho deixa o testemunho mais adorável de seu talento artístico, seus 12 profetas de pedra-sabão. O Rio de Janeiro se diferencia das outras cidades pela tendência à sobriedade neoclássica. Um exemplo disso é Passeio Público e o Chafariz da Pirâmide do Mestre Valentim onde é possível encontrar um equilíbrio entre os postulados racionais do classicismo, a dinâmica do barro e um certo sentido de delicadeza da estética rococó, formulam o espírito da arte carioca da segunda metade do século XVIII.

Fonte:

http://www.itaucultural.org.br/aplicExternas/enciclopedia_IC/index.cfm?fuseaction=termos_texto&cd_verbete=63

http://www.suapesquisa.com/barroco/

Anúncios

7 Respostas para “2. O Barroco no Brasil

  1. Essas informações foram mt úteis para mim. obrigada. bjs giuliamello.blogspot.com

  2. é bem interessante, eu gosto dessas arquiteturas de igrejas barrocas.

  3. Andréa

    A mim também. Farei minha prova hoje, no assunto referente a arquitetura religiosa – barroco -, com base nestas informações. Obrigada, foram bastante úteis.

  4. Marina

    Muito bom! melhor conteúdo sobre o assunto disponível na internet. Parabéns!

  5. lele

    vlw, adore, muito bom: simples, coerente, conciso e com conteudo !!!

  6. Muito conciso e esclarecedor. Vou passar a minha turma de Arquitetura para complemento de conteúdo! Obrigada!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s